1961. Sudene – consolidação nacional e reinserção internacional

Diogo Villela Garcia Moura

Resumo


Aborda o ano de 1961 a partir dois eixos de análise: no âmbito interno pretende destacar os conflitos políticos que decorrem do sucesso da criação da Sudene, em que se colocam de um lado, Celso Furtado e os agentes de transformação estrutural da Região Nordeste, e, de outro, os agentes interessados em manter suas posições políticas e econômicas. E no âmbito da política externa visa esclarecer a importância da Sudene para o Nordeste brasileiro.

Texto completo:

PDF

Referências


COSTA LIMA, M.; DAVID, M.D. (Orgs.). A atualidade do pensamento de Celso Furtado. Brasília: Verbena Editora, 2008.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO. Jornal. Reportagens selecionadas. Recife, 1961.

FURTADO, C. A fantasia desfeita. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

JORNAL DO COMMERCIO. Jornal. Reportagens selecionadas. Recife, 1961.

O ESTADO DE S. PAULO. Jornal. Reportagens selecionadas. São Paulo, 1961.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




            

A edição n. 28 de Cadernos do Desenvolvimento teve apoio da Fundação Oswaldo Cruz, por meio do Projeto "Desafios para o Sistema Único de Saúde no contexto nacional e global de transformações sociais, econômicas e tecnológicas - CEIS 4.0" (Fiocruz/Fiotec)

 

CADERNOS do DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

secretaria@centrocelsofurtado.org.br