Perdas internacionais: uma aproximação conceitual

Victor Leonardo de Araújo

Resumo


Este trabalho tem como objetivo oferecer uma aproximação para o conceito de perdas internacionais, amplamente utilizado pelo político gaúcho Leonel Brizola. Inicialmente, Brizola utilizava o termo “processo espoliativo” para referir-se a uma lógica supostamente predatória envolvendo empresas multinacionais, capital financeiro e o sistema produtivo brasileiro. Após o retorno do exílio, o “processo espoliativo” deu lugar às “perdas internacionais” em seu discurso. O termo abarca quatro dimensões: deterioração dos termos de troca, remuneração do passivo externo, dependência tecnológica, e conformação de uma estrutura produtiva subdesenvolvida. O termo é útil nos campos teórico e normativo e recoloca o debate entre subdesenvolvimento e setor externo em outros termos não captados por categorias isoladas como deterioração dos termos de troca, restrição de divisas e fragilidade externa, entre outros. 


Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, L. A. Brizola: política e legalidade. Rio de Janeiro: Livre Expressão, 2012.

BASTOS, P. Z. Centro e periferia no padrão-ouro: qual a contribuição da Formação econômica do Brasil?

In: ARAÚJO, T. P.; VIANNA, S. W.; MACAMBIRA, J. (Orgs.) 50 anos de Formação Econômica do

Brasil. Rio de Janeiro: Ipea, 2009.

BASTOS, C. B. Inflação e estabilização. In: FIORI, J. L.; MEDEIROS, C. (Orgs.) Polarização mundial e

crescimento. Petrópolis: Vozes, 2001.

BELLUZZO, L. G.; ALMEIDA, J. G. Depois da queda: a economia brasileira da crise da dívida aos impasses

do Real. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

BIELSCHOWSKY, R. Pensamento econômico brasileiro: o ciclo ideológico do desenvolvimentismo: 1930-

Rio de Janeiro: Contraponto, 2000.

BRIZOLA, L. (1961) Palavras à mocidade do meu país. In: BRAGA, K.; SOUZA, J. B.; DIONI, C.; BONES,

E. (Coords.) Leonel Brizola: Perfil, discursos, depoimentos (1922-2004). Porto Alegre: Assembleia Legislativa

do RS, 2004.

______. (1961a) Subdesenvolvimento e processo espoliativo: atraso, pobreza, marginalismo. In: BRAGA,

K.; SOUZA, J. B.; DIONI, C.; BONES, E. (Coords.) Leonel Brizola: Perfil, discursos, depoimentos

(1922-2004). Porto Alegre: Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, 2004.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Ignácio Rangel: ciclos longos, dualidade, e um depoimento pessoal. Análise

Econômica, vol. 31, n. 59, mar. 2013.

BUSATO, M. I. Crescimento econômico e restrição externa: um modelo de simulação pós-keynesiano. Rio

de Janeiro: Beco do Azougue, 2012.

CAMPOS, F. Estratégias de desenvolvimento nacional: o papel do capital estrangeiro entre o segundo governo

Vargas e o governo Castelo Branco (1951-1966). Dissertação (Mestrado). Campinas: Unicamp, 2003.

_____.

Complexo multinacional e “Lei de Remessa de Lucro” (1956-1973). Revista da Sociedade Brasileira

de Economia Política, n. 45, p. 10-35, 2016.

CARNEIRO, R. Desenvolvimento em crise: A economia brasileira no último quarto do século XX. São

Paulo: Editora UNESP, IE – Unicamp, 2002.

CERQUEIRA, D. F. A integração do Brasil com os países da América do Sul (2003-2010): o IED brasileiro, a

IIRSA e a consolidação da dependência. Tese (Doutorado). Niterói: Faculdade de Economia/UFF, 2014.

FURTADO, C. (1959) Formação econômica do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

_____.

A invenção do subdesenvolvimento. Revista de Economia Política, vol. 15, n. 2 (58), p. 5-9, abr.-

-jun.-1995,.

GENTIL, D. L.; ARAÚJO, V. L. Dívida pública e passivo externo: onde está a ameaça? In: EARP, F. S.; BASTIAN,

E. F.; MODENESI, A. M. (Orgs.) Como vai o Brasil? Vol. 1. Rio de Janeiro: Imã Editorial, 2014.

GONÇALVES, R. Globalização e desnacionalização. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

MALTA, M. M. Ignácio Rangel e a categoria dualidade básica: uma interpretação do Brasil, Belo Horizonte,

Nova Economia, vol. 24, n. 1, p. 17-32, 2014.

MARTINS, C. E. O pensamento de Ruy Mauro Marini e sua atualidade para as ciências sociais. In: NIEMEYER

A. F. (Org.) Desenvolvimento e dependência: cátedra Ruy Mauro Marini. Brasília: Ipea, 2013.

NASCIMENTO, A. Inflação, inimiga número um dos candidatos. O Globo, Rio de Janeiro, 05/11/1989, O

País, p. 10.

NOGUEIRA, M. O.; INFANTE, R.; MUSSI, C. Produtividade do trabalho e heterogeneidade estrutural

no Brasil contemporâneo. In: DE NEGRI, F.; CAVALCANTE, L. R. (Orgs.) Produtividade no Brasil:

desempenho e determinantes. Brasília: ABDI: Ipea, 2014.

O GLOBO. Brizola: Quem tem mais, fará mais sacrifício. O Globo, Rio de Janeiro, 15/09/1989, p. 15.

PARTIDO DEMOCRÁTICO TRABALHISTA. Projeto Brasil: só a força do povo pode mudar o país. Documento

Básico de Trabalho. [S.I.: s.n.], 1994.

PATRÍCIO, I.; ARAÚJO, V. L. Inflação e desenvolvimento no pensamento econômico brasileiro, Teoria

e Cultura, Juiz de Fora, vol. 10, n. 1., p. 55-65, jan.-jun. 2015,.

PEREIRA, B. R. Revisão crítica da hipótese de poupança forçada para a economia brasileira: 1946-1964.

Dissertação (Mestrado). Niterói: UFF/Faculdade de Economia, 2006.

PINTO, A. Natureza e implicações da “heterogeneidade estrutural” da América Latina. In: BIELSCHOWSKY,

R. (Org.) Cinquenta anos de pensamento na Cepal. Vol. 2. Rio de Janeiro: Record, 2000.

PREBISCH, R. O desenvolvimento econômico da América Latina e alguns de seus principais problemas.

In: BIELSCHOWSKY, R. (Org.) Cinquenta anos de pensamento na Cepal. Vol. 1. Rio de Janeiro: Record,

RANGEL, I. (1957) Dualidade básica da economia brasileira. In: RANGEL, I. Ignácio Rangel: obras reunidas.

Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

RODRÍGUEZ, O. O estruturalismo latino-americano. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

SENTO-SÉ, J. T. Brizolismo: estetização da política e carisma. Rio de Janeiro: Ed. da Fundação Getúlio

Vargas, 1999.

TAVARES, M. C. Auge e declínio do processo de substituição de importações no Brasil. In: TAVARES,

M. C. Da substituição de importações ao capitalismo financeiro: ensaios sobre a economia brasileira.

Zahar: Rio de Janeiro, 1963.

VASCONCELLOS, G. F. A Jangada do Sul: Getúlio, Jango e Brizola. São Paulo: Casa Amarela, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Victor Leonardo de Araújo

Curta a página de CADERNOS do DESENVOLVIMENTO


CADERNOS DO DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

Av. Rio Branco, 124, sl 1304, Ed. Edison Passos, Centro, Rio de Janeiro-RJ, 20040-001
Tel.: +55(21) 2178-9540
cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

Indexado por