A década perdida: da restrição externa ao declínio do nacional desenvolvimentismo brasileiro

Diego Garcia Angelico, Alexandre Lucchesi

Resumo


O objetivo deste artigo foi realizar um levantamento sobre a década de 1980, chamada de década perdida, a fim de ressaltar quais foram os principais determinantes da ruptura do modelo nacional-desenvolvimentista vigente nas décadas anteriores. Foram levantadas contribuições de diversos autores sobre a dinâmica econômica e decisões de política que marcaram essa década, sem deixar de ressaltar algumas características da economia brasileira em períodos anteriores. As políticas internas adotadas tiveram como principal propósito assegurar a rentabilidade e a liquidez do setor privado, e tiveram como contraprestação
a crise fiscal e financeira do setor público, que marcou a ruptura do modelo nacional-desenvolvimentista. Por fim, entende-se que a restrição imposta à economia brasileira, que condicionou as decisões de política econômica, foi resultante do ressurgimento das finanças globalizadas, fenômeno que intensificou a hierarquia existente entre economias centrais e periféricas.


Texto completo:

PDF

Referências


ARIDA, P.; RESENDE, A. L. Inflação inercial e reforma monetária: Brasil. In: ARIDA, P. (Org.) Inflação

zero: Brasil, Argentina e Israel. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1986.

BACHA, E. Prólogo para a Terceira Carta. In: FÓRUM GAZETA MERCANTIL. FMI X Brasil: a armadilha

da recessão. São Paulo: G.M., 1983, p. 113-128.

BELLUZZO, L. G.; ALMEIDA, J. S. A crise da dívida e suas repercussões sobre a economia brasileira. In:

BELLUZZO; BATISTA JR. (Orgs.) A luta pela sobrevivência da moeda nacional. Rio de Janeiro: Paz e

Terra, 1992, p. 25-50.

_______. Depois da queda: a economia brasileira da crise da dívida aos impasses do Real. Rio de Janeiro:

Civilização Brasileira, 2002.

BIASOTO JR., G. A questão fiscal no contexto de crise do pacto de desenvolvimento. Tese (Doutorado).

Instituto de Economia, Unicamp. Campinas, 1994.

BIELSCHOWSKY, R. Estratégia de desenvolvimento e as três frentes de expansão no Brasil: um desenho

conceitual. Economia e Sociedade, Campinas, vol. 21, número especial, p. 729-747, dez. 2012.

BRAGA, J. C. S. Os orçamentos estatais e a política econômica. In: BELLUZZO, L. G. M.; COUTINHO,

R. (Org.). Desenvolvimento capitalista no Brasil: Ensaios sobre a crise. São Paulo: Brasiliense, 1982.

CARDOSO DE MELLO, João Manuel. O capitalismo tardio. Campinas: Unicamp-IE, 1998.

CARNEIRO, R. Desenvolvimento em crise: a economia brasileira no último quarto do século XX. São Paulo:

Editora da Unesp, 2002.

CASTRO, A. B. de; SOUZA, F. E. P. de. A economia brasileira em marcha forçada. Rio de Janeiro: Paz e

Terra, 1985.

_______. O saldo e a dívida. Revista de Economia Política, vol. 8, n. 2, abr.-jun. 1988.

CRUZ, P. D. Endividamento externo e transferência de recursos reais ao exterior: os setores público e privado

na crise dos anos oitenta. Nova Economia, vol. 5, n. 1, p.125-144, 1995.

DELFIM NETTO, A. Mudanças estruturais da economia no Governo Figueiredo (1979-1984). Brasília: Seplan,

FISCHER, I. The debt deflation theory of great depressions. Econometrica, vol. 1, p. 337-357, 1933.

FURTADO, C. Subdesenvolvimento e estagnação na América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,

LARA-RESENDE, A. A ruptura do mercado internacional de crédito. In: ARIDA, P. (Org.) Dívida externa,

recessão e ajuste estrutural. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

LESSA, C. Visão crítica do II PND. Revista Tibiriçá, São Paulo, n. 6, jan.-mar. 1977.

_______. 15 anos de política econômica. São Paulo: Brasiliense, 1981.

LOPREATO, F. L. C. Crise de financiamento dos governos estaduais (1980-1988). Tese (Doutorado). Instituto

de Economia, Unicamp. Campinas, 1992.

_______. Caminhos da política fiscal no Brasil. São Paulo: Editora da Unesp, 2013.

MALAN, P. S.; BONELLI, R. Brazil 1950-1980: three decades of growth – Oriented Economic Policies.

Texto para discussão, Ipea/Inpes, Rio de Janeiro, n. 187, mar. 1990.

MENDONÇA DE BARROS, L. C. A moeda indexada. Economia e Sociedade, n. 2, 1992.

REIS-VELLOSO, J. P. A fantasia política: a nova alternativa de interpretação do II PND. Revista de Economia

Política, vol. 18, n. 2 (70), abr.-jun. 1998.

TAVARES, M. C.; SERRA, J. Além da estagnação. In: TAVARES, M. C. Da substituição de importações ao

capitalismo financeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1972.

_______. A retomada da hegemonia norte-americana. Revista de Economia Política, vol. 5, n. 2, abr.-jun.

_______. Acumulação de capital e industrialização no Brasil. Campinas, IE-Unicamp, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Diego Garcia Angelico, Alexandre Lucchesi

Curta a página de CADERNOS do DESENVOLVIMENTO


CADERNOS DO DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

Av. Rio Branco, 124, sl 1304, Ed. Edison Passos, Centro, Rio de Janeiro-RJ, 20040-001
Tel.: +55(21) 2178-9540
cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

Indexado por