A importância do BNDES na política externa do governo Lula

Caio Bugiato

Resumo


O texto em questão é continuação do artigo “A política de financiamento do BNDES e a burguesia brasileira”, publicado nos Cadernos do Desenvolvimento, vol. 9, n. 14, de 2014. Neste, havíamos analisado o papel do BNDES no Brasil durante o governo Lula e suas ações na frente neodesenvolvimentista, capitaneada pela grande burguesia interna e articulada pelo Partido dos Trabalhadores. Com o mesmo referencial teórico (o bloco no poder de Nicos Poulantzas) e a mesma hipótese (o Estadão brasileiro privilegiou as demandas de tal fração de classe no governo Lula), seguimos com nosso objeto de estudo, o BNDES, deslocando o foco da análise para a política externa. Defendemos que, como na política econômica, o banco atendeu as demandas da grande burguesia interna ao se converter em propulsor dos negócios desta fração no exterior, tornando-se um importante agente da política externa brasileira (PEB) no governo Lula.


Texto completo:

PDF

Referências


AEB (Associação Brasileira de Comércio Exterior do Brasil). Radiografia do comércio exterior brasileiro:

passado, presente e futuro. Rio de Janeiro, 15/01/2012. Disponível em:

AEB%20-%20Radiografia%20Com%C3%A9rcio%20Exterior%20Brasil.pdf>. Acesso em: dez. 2014.

ALEM, A. C.; CAVALCANTI, C. E. O BNDES e o apoio à internacionalização das empresas brasileiras:

algumas reflexões. Revista do BNDES, Rio de Janeiro, vol. 12, n. 24, dez. 2005, p. 43-76.

ALLISON, G. T. Modelos conceituais e a crise dos mísseis de Cuba. In: BRAILLARD, P. (Org.). Teoria das

relações internacionais. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1990.

AMORIM, C. “Negócios são negócios”, diz Amorim antes de encontro com líder golpista. O Estado de S.

Paulo. 05/07/2010. Disponível em:

diz-amorim-antes-de-encontro-com-lider-golpista,576524>. Acesso em: ago. 2015.

BERRINGER, T. Bloco no poder e política externa nos governos FHC e Lula. Tese (Doutorado). Universidade

Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. São Paulo, Campinas, 2014.

BOITO JR., A.; BERRINGER, T. Brasil: classes sociais, neodesenvolvimentismo e política externa nos governos Lula e Dilma. Rev. Sociologia e Política, vol. 21, n. 47, Curitiba, 2013.

BUGIATO, C. A cadeia imperialista das relações interestatais: a teoria do imperialismo de Nicos Poulantzas.

Quaestio Iuris, vol. 7, n. 2. Rio de Janeiro: UERJ, 2014a.

_______. A política de financiamento do BNDES e a burguesia brasileira. Cadernos do Desenvolvimento,

vol. 9, n. 14, jan.-jun 2014b. Rio de Janeiro, p. 83-103.

_______. Declínio do Estado-Nação. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Instituto

de Filosofia e Ciências Humanas. São Paulo, Campinas, 2011.

_______; BERRINGER, T. Um debate sobre o Estado logístico, imperialismo e subimperialismo brasileiro.

Em Debate, n. 7. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012. Disponível em:

periodicos.ufsc.br/index.php/emdebate/article/view/1980-3532.2012n7p28>. Acesso em: ago. 2015.

_______; HERNANDEZ, M. de C. Marxismo, Poulantzas e suas contribuições para o campo de Relações

Internacionais. Revista de Estudos Internacionais. vol. 2, n. 2. Universidade Estadual da Paraíba, 2011.

CEPAL (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe). La inversión extranjera directa en América

Latina y el Caribe. Santiago, Chile: 2011. Disponível em:

handle/11362/1146/S1200384_es.pdf?sequence=1>. Acesso em: set. 2015.

CHESNAIS, F. A mundialização do capital. São Paulo: Xama, 1996.

COUTINHO, L. Os eleitos do BNDES. IstoÉ. Edição 631, 11/11/2009. Disponível em:

com.br/istoedinheiro-temp/edicoes/631/sumario.htm>. Acesso em: abr. 2015.

COUTO, A. B. A atuação das grandes empreiteiras brasileiras na integração de infraestrutura na América

do Sul. In: VERDUM, R. (Org). Financiamento e megaprojetos. Uma interpretação da dinâmica regional

sul-americana. Brasília: Inesc, 2008.

FARIA, A. BNDES: um primeiro rascunho para entender suas políticas e as críticas recentes. ECOA.

/09/2010. Disponível em:

para+entender+suas+politicas+e+as+criticas+recentes/16202>. Acesso em: jun. 2015.

FARIA, L. A. E. A nova política exterior do Brasil. Nueva Sociedad. Especial em português. Dez. 2009.

FDC (Fundação Dom Cabral). Ranking das transnacionais brasileiras 2011. Disponível em:

fdc.org.br/professoresepesquisa/publicacoes/Paginas/publicacao-detalhe.aspx?publicacao=18171>.

Acesso em: ago. 2015.

FIGUEIRA, A. C. R. Processo decisório em política externa no Brasil. Tese (Doutorado). Universidade de

São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. São Paulo, 2009.

FIORI, J. L. O sistema interestatal capitalista no início do século XXI. In: FIORI, J. L.; SERRANO, F.; MEDEIROS,

C. (Orgs.). O mito do colapso do poder americano. Rio de Janeiro: Record, 2008.

GALVÃO, A. A reconfiguração do movimento sindical nos governos Lula. In: BOITO JR., A.; GALVÃO,

A. (Orgs.). Política e classes sociais no Brasil dos anos 2000. São Paulo: Alameda, 2012.

GARCIA, A. E. S. A internacionalização de empresas brasileiras durante o governo Lula: uma análise crítica

da relação entre capital e Estado no Brasil contemporâneo. Tese (Doutorado). Pontifícia Universidade

Católica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2012.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000. (Vol. 3: Maquiavel: notas

sobre o Estado e a política).

HERMANN, C. Changing course: When governments choose to redirect foreign policy. International

Studies Quarterly, vol. 34, n. 1, mar. 1990.

HIRST, M.; LIMA, M. R. de S.; PINHEIRO, L. A política externa brasileira em tempos de novos horizontes

e desafios. Análise de Conjuntura. Observatório Político Sul-Americano, n. 12, dez. 2010.

LESSA, C. I Seminário Internacional de Cofinanciamento BNDES/CAF. Senatus, vol. 3, n. 1. Brasília, abr.

, p. 65-70. Disponível em: . Acesso em: set. 2015.

LIMA, M. R. S. de. Instituições democráticas e política exterior. Contexto Internacional, vol. 22, n. 2, 2000.

MIYAMOTO, S. A política externa do governo Lula: aspirações e dificuldades. Revista Ideias, vol. 2, n. 3,

Campinas, 2011.

OLIVEIRA, A. J. S. N. de. Legislativo e política externa: das (in)conveniências da abdicação. Working Papers

Caeni, n. 3, São Paulo, 2003.

PECEQUILO, C. S. A política externa do Brasil no século XXI: os eixos combinados de cooperação horizontal

e vertical. Revista Brasileira de Política Internacional, vol. 51, n. 2, 2008.

PINHEIRO, L. Os véus da transparência: política externa e democracia no Brasil. Rio de Janeiro: PUC, 2003.

_______; SOLOMON, M. Análise de política externa e política externa Brasileira: trajetória, desafios e

possibilidades de um campo de estudos. Rev. Bras. Polít. Int., vol. 56, n. 1, Brasília, 2013.

POULANTZAS, N. A crise das ditaduras: Portugal, Grécia, Espanha. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

_______. As classes sociais no capitalismo de hoje. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

PUTNAM, R. Diplomacia e política doméstica: a lógica dos jogos de dois níveis. Revista de Sociologia e

Política, vol. 18, n. 36, jun. 2010.

SOUZA NETO, D. M. de. A política externa brasileira nos oito anos do governo Lula: legados e lições para

a inserção do Brasil no mundo. In: PAULA, M. (Org.) “Nunca antes na história desse país”...? Um

balanço das políticas do governo Lula. Rio de Janeiro: Fundação Heinrich Böll, 2011.

UNCTAD (United Nations Conference on Trade and Development). UNCTADstat Disponível em:

unctadstat.unctad.org/wds/TableViewer/tableView.aspx>. Acesso em: ago. 2015.

VALDEZ, R. C. C. A internacionalização do BNDES no governo Lula. Dissertação (Mestrado). Universidade

Federal do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, 2011.

VALOR ECONÔMICO. Especial Valor BNDESPar. 14/03/2013. Disponível em:

wordpress.com/2013/03/especial-valor-bndespar.pdf>. Acesso em: maio 2015.

_______. Ranking das 1000 maiores. Disponível em:

-das-1000-maiores>. Acesso em: out. 2015.

VIGEVANI, T.; CEPALUNI, G. A política externa brasileira: a busca da autonomia, de Sarney a Lula. São

Paulo: Editora Unesp, 2011.

Documentos do BNDES

BNDES. BNDES Transparente. Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.bndes.gov.br/bndestransparente>.

Acesso em: out.2015.

_______. O desempenho do BNDES. Rio de Janeiro: BNDES, 2014.

BNDES. Relatório Anual do BNDES de 2006. Rio de Janeiro: BNDES, 2006a. Disponível em:

bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Publicacoes/Consulta_Expressa/Tipo/Relatorio_

Anual_BNDES/>. Acesso em: fev. 2015.

_______. Apresentação no seminário ‘As Novas Multinacionais Brasileiras’. BNDES: Rio de Janeiro, 29/05/2006b. Disponível em:

empresa/download/apresentacoes/apresentacao_fiocca_firjan.pdf>. Acesso em: out. 2015.

_______. Legislação básica do BNDES. Rio de Janeiro: BNDES, 2005.

_______. Relatório Anual do BNDES de 2004. Rio de Janeiro: BNDES, 2004. Disponível em:

bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Publicacoes/Consulta_Expressa/Tipo/Relatorio_

Anual_BNDES/>. Acesso em: fev. 2015.

_______. Relatório anual do BNDES de 2003 a 2010. Rio de Janeiro: BNDES, 2003. Disponível em:

www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Publicacoes/Consulta_Expressa/Tipo/

Relatorio_Anual_BNDES/>. Acesso em: fev. 2015.

_______. Estatuto Social do BNDES. BNDES: Rio de Janeiro, 2002. Disponível em:

gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/O_BNDES/Legislacao/estatuto_bndes.html>. Acesso

em: out. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Caio Bugiato

Curta a página de CADERNOS do DESENVOLVIMENTO


CADERNOS DO DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

Av. Rio Branco, 124, sl 1304, Ed. Edison Passos, Centro, Rio de Janeiro-RJ, 20040-001
Tel.: +55(21) 2178-9540
cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

Indexado por