Pandemia e desafios estruturais do CEIS: financiamento do SUS, federalismo da saúde e as relações público-privadas4

Esther Dweck, Bruno Moretti, Maria Fernanda G. Cardoso de Melo

Resumo


O artigo procura demonstrar como fragilidades estruturais do Complexo Econômico-Industrial da Saúde (CEIS) associadas às finanças públicas brasileiras se manifestaram durante a pandemia do novo coronavírus, exigindo respostas emergenciais. O trabalho discute em particular: a) o impacto das regras fiscais sobre o financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS); b) o desequilíbrio na arquitetura do federalismo fiscal brasileiro entre a oferta de serviços pelos entes subnacionais e sua dependência em relação ao governo federal; c) as relações público-privadas e seus efeitos sobre o CEIS, envolvendo, especialmente, a desigualdade no acesso a leitos, a regulação da atuação dos planos de saúde quanto à pandemia e as regras de aquisição de produtos estratégicos, tendo em vista a dependência externa do Brasil. Conclui-se pela necessidade de construção de uma agenda que responda aos desafios estruturantes do SUS e às vulnerabilidades do CEIS, num contexto de demanda crescente por serviços de saúde e mudanças tecnológicas.


Palavras-chave


Covid-19; Complexo-Econômico Industrial da Saúde (CEIS), Sistema Único de Saúde (SUS); Regras fiscais; Federalismo da saúde

Texto completo:

PDF

Referências


BAHIA, L. Mudanças e padrões das relações público-privadas: seguros e planos de saúde no Brasil. Tese (Doutorado em Saúde Pública) – Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 1999.

BAHIA, L. Trinta anos de Sistema Único de Saúde (SUS): uma transição necessária, mas insuficiente. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 34, n. 7, e00067218, abr. 2018.

BASTOS, C.; MARTINS, N.; DWECK, E. Taxa de juros zero: impactos e limites. (Preprint). Nota de Política Econômica. GESP/IE/UFRJ, Rio de Janeiro, abr. 2010. Disponível em: https://dx.doi.org/10.13140/RG.2.2.25216.66567. Acesso em: 2 jul. 2020.

COSTA, N. R.; LAGO, M. J. A disponibilidade de leitos em unidade de tratamento intensivo no SUS e nos planos de saúde diante da epidemia da Covid-19 no Brasil. (Nota Técnica). Publicado em: 19 mar. 2020. Disponível em: http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/arquivos/anexos/a92729d3eae11d7fe26e4f4bd9a663c16f13a410.PDF. Acesso em: 15 jun. 2020.

DAIN, S. O financiamento público na perspectiva da política social. Economia e Sociedade, v. 10, n. 2, p. 113-140, 2001.

DAIN, S. Os vários mundos do financiamento da saúde no Brasil: uma tentativa de integração. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 12, supl., p. 1851-1864, nov. 2007.

DAIN, S. et al. Regime fiscal dos estabelecimentos e empresas de planos e seguros privados de saúde: legislação fiscal, mensuração dos gastos tributários, relações com a política fiscal, impactos sobre a equidade e relações com a regulação. (Relatório Final) - Agência Nacional de Saúde Suplementar. Publicado em: nov. 2015. Disponível em: https://saudeamanha.fiocruz.br/wp-content/uploads/2016/12/relatorio-final-0-Regime-Fiscal-Planos-Privados.pdf. Acesso em: 18 jun. 2017.

DAIN, S.; CASTRO, K. P. Alternativas para o financiamento da saúde pela União: espaço fiscal e oportunidades para as próximas duas décadas. In: GADELHA, P. et al. (Orgs.). Brasil Saúde Amanhã: população, economia e gestão. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2016.

DWECK, E. et al. Por que estados e municípios precisam de auxílio em meio a pandemia. (Preprint). Nota de Política Econômica. GESP/IE/UFRJ, Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: https://bit.ly/31Hm2yJ.Acesso em: 2 jul. 2020.

GADELHA, C. A. G.; TEMPORÃO, J. G. Desenvolvimento, inovação e saúde: a perspectiva teórica e política do Complexo Econômico-Industrial da Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n. 6, p. 1891-1902, 2018.

GEPS; GPDES. Grupo de Estudo sobre Planos de Saúde; Grupo de Pesquisa e Documentação sobre Empresariamento na Saúde. As empresas de planos de saúde no contexto da pandemia do coronavírus: entre a omissão e o oportunismo. (Nota Técnica). Publicada em: 1 abr. 2020. Disponível em: http://www.analisepoliticaemsaude.org/oaps/documentos/ noticias/coronavirus-planosdesaude-pdf/. Acesso em: 15 jun. 2020.

HIRATUKA, C.; DA ROCHA, M. A.; SARTI, F. Mudanças recentes no setor privado de serviços de saúde no Brasil: internacionalização e financeirização. In: GADELHA, P. et al. (Orgs.). Brasil Saúde Amanhã: população, economia e gestão. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2016. v. 1.

LIMA, L. D. Federalismo fiscal e financiamento descentralizado do SUS: balanço de uma década expandida. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 6, n. 3, p. 573-598, 2008.

MELO, M. F. G. C. de. Relações público-privadas no sistema de saúde brasileiro. Tese (Doutorado em Economia) – Universidade de Campinas, Campinas, SP, 2017.

MENDES, A.; MARQUES, R.M. O financiamento do SUS sob os “ventos” da financeirização. Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, p. 841-850, 2009.

MORETTI, B. et al. Mudar a política econômica e fortalecer o SUS para evitar o caos. Abrasco. (Site). Publicado em: 30 mar. 2020. Disponível em: https://www.abrasco.org.br/site/noticias/mudar-a-politica-economica-e-fortalecer-o-sus-para-evitar-o-caos/46220/. Acesso em: 6 jul. 2020.

NORONHA, J.; SANTOS, I.; PEREIRA, T. Relações entre o SUS e a saúde suplementar: problemas e alternativas para o futuro do sistema universal. In: SANTOS, N.; AMARANTE, P. (Orgs.). Gestão pública e relação público-privada na saúde. Rio de Janeiro: Cebes, 2011.

OCKÉ-REIS, C. O.; GAMA, F. N. da. Radiografia do gasto tributário em saúde, 2003-2013. Nota técnica, n. 19. Brasília: Ipea, 2016.

PIOLA, S. F. et al. Financiamento público da saúde: uma história à procura de rumo. Texto para discussão, IPEA, Brasília; Rio de Janeiro, n. 1846, 2013. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/1580/1/TD_1846.pdf. Acesso em: 6 jul. 2020.

ROSSI, P.; DWECK, E. Impactos do novo regime fiscal na saúde e educação. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 32, n. 12, e00194316, 2016.

SILVA, R.N.A. et al. Covid-19 in Brazil has exposed socio-economic inequalities and underfunding of its public health system. The BMJ Opinion. (Site). Publicado em: 19 jun. 2020. Disponível em: https://blogs.bmj.com/bmj/2020/06/19/covid-19-in-brazil-has-exposed-deeply-rooted-socio-economic-inequalities-and-chronic-underfunding-of-its-public-health-system/. Acesso em: 6 jul. 2020.

SOTER, A.P.; MORETTI, B. Análise preliminar dos efeitos da vedação do crescimento real das despesas federais e o comprometimento da universalidade do SUS. Anais do [...]. Encontro Nacional de Economiada Saúde. Salvador: ABRES, 2016.

VIANA, A. L. D.; ELIAS, P. E. M. . Saúde e desenvolvimento. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 12, supl., p. 1765-1777, nov. 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




            

A edição n. 28 de Cadernos do Desenvolvimento teve apoio da Fundação Oswaldo Cruz, por meio do Projeto "Desafios para o Sistema Único de Saúde no contexto nacional e global de transformações sociais, econômicas e tecnológicas - CEIS 4.0" (Fiocruz/Fiotec)

 

CADERNOS do DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

secretaria@centrocelsofurtado.org.br