Inovação e criatividade nos movimentos sociais: a experiência econômico-cultural do espaço Raízes do Brasil no Rio de Janeiro

Bruna Távora de Souza Martins, Marcelo Rangel Lima

Resumo


Este artigo reflete sobre a construção do espaço Raízes do Brasil, implementado pelo Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) na cidade do Rio de Janeiro. Trata-se de um empreendimento de economia popular que comercializa alimentos agroecológicos produzidos em sistemas camponeses de produção. Para desenvolver a reflexão, articulamos o conceito de agroecologia com a concepção de inovação e criatividade presente na obra de Celso Furtado. A partir disso, trazemos a crítica à lógica monocultural do agronegócio conforme realizada pela autora indiana Vandana Shiva. Para analisar a experiência, foi realizado um acompanhamento das atividades do espaço entre os meses de dezembro de 2018 e julho de 2019 e também análise do Relatório de Atividades do Setor de Abastecimento Popular cedido pelo MPA. Neste Relatório, observamos dados quantitativos como o número de municípios, cooperativas e famílias produtoras participantes, além do número de consumidores que consomem no Raízes do Brasil. As conclusões apontam que, através do fortalecimento de vínculos culturais e de práticas agroecológicas, a experiência contribui com inovações alternativas à lógica técnico-produtiva e de consumo do sistema agroalimentar monocultural.


Palavras-chave


Inovação; Agroecologia; Criatividade; Desenvolvimento; Movimento dos Pequenos Agricultores

Texto completo:

PDF

Referências


CHÃ, Ana Manuela. Agronegócio e indústria cultural: estratégias das empresas para a construção da hegemonia. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

EVARISTO, Douglas. KRAUSER, Raul. Programa de Aceleração da Transição Agroecológica: de experiência à prática camponesa. In: COLETIVO Nacional de Soberania Alimentar. Semear: Cadernos de Soberania Alimentar, Agroecologia e Abastecimento. Rio de Janeiro: Fundação Henrich Boll, 2020.

FURTADO, Celso. Cultura y Desarrollo. Oficina Regional de Cultura para América Latina y el Caribe de la UNESCO. Tomado de Diálogo, n. 22, México, D.F., 1997. UNESCO: Havana, 2003.

FURTADO, Celso. Criatividade e dependência na civilização industrial. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

MENDONÇA, Sônia. Estado e Hegemonia do agronegócio no Brasil. História e Perspectivas, Uberlândia (SP), n. 32/33, p. 91-132, ago.-dez. 2005.

MOONEY, Pat; ETC Group. La insostenible Agricultura 4.0. Digitalización y poder corporativo en la cadena alimentaria. [S. l.]: ETC Group, 2018.

MPA. Relatório de atividades do setor de abastecimento popular. Rio de Janeiro: Movimento dos Pequenos Agricultores, 2019.

NÚÑEZ, Orlando. La economía popular, asociativa y autogestionaria. In: CORAGGIO, L. (org). La economía social desde la periferia. contribuciones latinoamericanas, Buenos Aires: Altamira, 2007.

QUIJANO, Aníbal ¿Sistemas alternativos de producción? In: CORAGGIO, L. (org). La economía social desde la periferia. contribuiciones latino-americanas. Buenos Aires: Altamira, 2007.

SHIVA, Vandana. Monoculturas da mente. São Paulo: Gaia, 2002.

SILVA, Maiara. Cesta camponesa de alimentos saudáveis: uma estratégia na aliança campo-cidade por soberania alimentar. 2019. (Trabalho de Conclusão de Curso) - Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

SILVA, Marcelo (Org.). Plano camponês por soberania alimentar e poder popular. São Paulo: Outras Expressões, 2019.

VÁSQUEZ, Gonzalo. Antecedentes de la noción de economía popular: La perspectiva coraggiana. (Dossier). CdS, n. 6, dic. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

            

A edição n. 28 de Cadernos do Desenvolvimento teve apoio da Fundação Oswaldo Cruz, por meio do Projeto "Desafios para o Sistema Único de Saúde no contexto nacional e global de transformações sociais, econômicas e tecnológicas - CEIS 4.0" (Fiocruz/Fiotec)

 

CADERNOS do DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

secretaria@centrocelsofurtado.org.br