Uma breve análise do processo inflacionário do Brasil: sua origem, característica e peculiaridades

Rodrigo Gustavo de Souza, Lucy Rosana Silva

Resumo


O presente artigo procurou fazer um “mapeamento” do processo inflacionário brasileiro, descrevendo sua origem, causa e peculiaridades através da identificação dos seus componentes inflacionários no período pós-Real. Dessa forma, buscou-se realizar uma taxionomia para o processo inflacionário brasileiro, dentro da dicotomia demand-pull e cost-push e com relação à oferta monetária ser exógena ou endógena. A metodologia utilizada partiu de uma revisão bibliográfica a respeito das teorias ortodoxas e heterodoxas da inflação. A análise sugeriu que o processo inflacionário brasileiro é um fenômeno complexo, pois deriva de fatores de pressões de demanda, dos custos de produção e da alta indexação da economia, e, por outro lado, tem um forte componente de custo associado à inserção externa, relacionado ao canal câmbio-custo, que, associado a uma estrutura de mercado oligopolista, conduz a aumento dos preços.


Texto completo:

PDF

Referências


AMITRANO, A.; GRAUWE, P.; TULLIO, G. Why has inflation remained so low after the long exchange rate depreciations of 1992? J. Common Mark. Stud., Oxford, v. 35, n. 3, p. 329-346, set. 1997.

CARVALHO, F. J. C. de et al. Economia monetária financeira: teoria e política. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2007.

_______. Alta inflação e hiperinflação: uma visão pós-keynesiana. Revista de Economia Política, v. 10, n. 4 (40), out.-dez, p. 62-82, 1990.

CAMPA, J. M.; GOLDBERG, L. S. Rate pass-through into import prices: a macro or micro phenomenon? Cambridge: NBER, 2002. Working Paper Series, n. 8934. Disponível em: . Acesso em: 5 mar. 2010.

COSTA, F. N. da. Postulados de uma teoria alternativa da moeda. Ensaios FEE. Porto Alegre, v. 15, n. 1, p. 62-79, 1994.

_______. Economia monetária e financeira: uma abordagem pluralista. 1 ed. São Paulo: Makron, 1999.

DAVIDSON, P. Post-keynesian macroeconomic theory. Cheltenham: Edward Elgar., 1994.

DORNBUSCH, R. Exchange rate and prices. Am. Econ. Review, Nashville, v. 77, n. 1, p. 93-106, mar. 1987.

FEENSTRA, R. C. Symmetric pass-through of tariffs and exchange rates under imperfect competition: an empirical test. Working Paper, n. 2453. Cambridge: NBER, 1987.

FROYEN, R. T. Macroeconomia. 5 ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

FRIEDMAN, M. A Monetary and Fiscal Framework for Economic Stability. The American Economic Review, v. XXXVIII, n. 3, p. 245-264, 1948.

_______. The quantity theory of money: a restatement. In: FRIEDMAN, M. (Org.). Studies in the quantity theory of money. Chicago University Press, 1956.

GOLDBERG, P. K; KNETTER, M. M. Goods prices and exchange rates: what have we learned? J. Econ. Lit., Nashville, v. 35, n. 3, p. 1243-1272, set. 1997. Disponível em: . Acesso em: 10 mai. 2013.

HERMANN, J. O trade off do crescimento no Brasil nos anos 1990-2000: análise crítica e alternativas de política monetária. Revista Econômica, v. 6, n. 2, p. 261-289, dez. 2004.

KEYNES, J. M. A teoria geral do emprego, do juro e da moeda. 1. ed. São Paulo: Atlas, 1982.

KNETTER, M. M. Price discrimination by U.S. and German exporters. Amer. Econ. Rev., Nashville, v. 79, n. 1, p. 198-210, mar. 1989.

_______. International comparisons of price-to-market behavior. Amer. Econ. Rev., Nashville, v. 83, n. 3, p. 473-486, jun. 1993.

KRUGMAN, P. Pricing to market when exchange rate changes. Working Paper, n. 1926. Cambridge: NBER, 1986.

MARSTON, R. Pricing to market in japanese manufacturing. J. Int. Econ., Amsterdam, v. 29, n. 3-4, p. 217-236, nov. 1990.

MENON, J. The degree and determinants of exchange rate pass-through: market structure, non-tariff barriers and multinational corporations. Econ. J., Cambridge, v. 106, n. 435, p. 434-444, mar. 1996.

MISHKIN, F. Symposium on the monetary transmission mechanism. Journal of Economic Perspectives, v. 9, n. 4, p. 3-10, 1995.

_______. The channels of monetary transmission: lessons for monetary policy. NBER Working Paper, n. 5464, National Bureau of Economic Research, 1996.

MODENESI, A. Regimes monetários. 1 ed. Barueri: Manole, 2005.

_______; PIRES-ALVES, C. C.; MARTINS, N. M. Mecanismo de transmissão da política monetária: a importância dos fatores microeconômicos. OIKOS, Rio de Janeiro, v. 11, n. 2, p. 203-216, 2012.

ROGOFF, K. The purchasing power parity puzzle. J. Econ. Lit., Nashville, v. 34, p. 647-668, jun. 1996.

SOUZA, R. G. de. Três ensaios sobre política monetária: preços de commodities, taxa de câmbio real e inflação. 2016. 138 f. Tese (Doutorado em Economia) Instituto de Economia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

_______. Relação entre câmbio e preços no Brasil: aspectos teóricos e evidências empíricas para o período de 1999 a 2009. 2010. 148 f. Dissertação (Mestrado em Economia), Programa de Pós-Graduação em Ciências Econômicas, Universidade Estadual de Maringá, Paraná, 2010.

VERNENGO, M. Money and inflation. In: ARESITIS, P.; SAWYER, M. (Orgs.). A handbook of monetary economics. Cheltenham: Edward Elgar, 2006.

WEINTRAUB, S. Classical keynesianism monetary theory and the price level. Connecticut: Greenwood Press, 1961.

WICKSELL, K. [1911] Lições de economia política. Os Economistas. São Paulo: Nova Cultural, 1986.

YANG, J. Exchange rate pass-through em U.S. Manufacturing industries. Review of Economics and Statistics, Cambridge, v. 79, no. 1, p. 95-104, Feb. 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Rodrigo Gustavo de Souza, Lucy Rosana Silva

Curta a página de CADERNOS do DESENVOLVIMENTO


CADERNOS DO DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

Av. Rio Branco, 124, sl 1304, Ed. Edison Passos, Centro, Rio de Janeiro-RJ, 20040-001
Tel.: +55(21) 2178-9540
cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

Indexado por