Setor bancário, impactos das políticas liberalizantes. Respostas dos setores bancários brasileiro e indiano às diferentes políticas liberalizantes

Sávio Emerick Barros Pavani Marinho

Resumo


RESUMO

Características específicas de economias em desenvolvimento, repletas de falhas de mercado, alta desigualdade e forte tendência à dependência externa, fazem com que modelos econômicos pautados em países desenvolvidos gerem resultados deletérios quando adotados por países sob tais condições, especialmente quando seguidos à risca. A partir deste approach, o artigo faz uma análise histórica do processo de liberalização dos sistemas bancários brasileiro e indiano, ambos países em desenvolvimento, democráticos, com grandes economias e que adotaram reformas liberalizantes no início dos anos 1990. Observa-se que no Brasil, país em que as reformas foram abruptas e imediatas, o setor bancário se mostra altamente concentrado, com um altíssimo spread e baixa taxa de investimento. A Índia, em contrapartida, ao realizar a liberalização de forma gradual, protegendo os pequenos bancos privados, desenvolveu um setor bancário mais concorrencial, com maior presença de bancos internacionais e menor spread, configurando-se um ambiente mais propício ao investimento.

PALAVRAS-CHAVES: País em Desenvolvimento; Setor Bancário; Liberalização; Brasil; Índia.

ABSTRACT

The specific characteristics of developing economies, with their many market flaws, high levels of inequality and a strong tendency towards external dependency ensure that economic models based on those of developed nations have harmful effects when adopted by countries under such conditions, especially when they follow them to the letter. Based on this approach, this article offers a historical analysis of the deregulation of the Brazilian and Indian banking systems, both in developing and democratic nations with largescale economies that adopted liberalizing reforms at the beginning of the 1990s. One can note that, in the case of Brazil, a country in which such reforms were implemented very suddenly and with immediate effect, the banking sector has proved to be highly concentrated, with extremely high spreads and low investment rates. India, on the other hand, in liberalising at a slower pace and protecting its smaller banks, has managed to develop a more competitive banking sector, with the presence of international banks and lower spreads, thereby ensuring an environment that is more conducive to investment.

Key-words: Developing Countries; Banking Sector; Liberalising; Brazil; India. 


Texto completo:

PDF

Referências


AHLUWALIA, M. S. Economic Reforms in India since 1991: Has Gradualism Worked?. Journal of Economic Perspectives, n. 16, 2002.

CARVALHO, C. E.; VIDOTTO, C. A. Abertura do setor bancário ao capital estrangeiro nos anos 1990: os objetivos e o discurso do governo e dos banqueiros. Nova Economia, Face/UFMG, vol. 17, n. 3, 2007.

FARIA JÚNIOR, J. A.; DE PAULA, L.F. Fusões e aquisições bancárias e a evolução da eficiência técnica dos maiores bancos privados no Brasil. Encontro Nacional da Anpec, 2009.

FRANCO, P. M.; CAMARGOS M. A. Fusões e aquisições no setor bancário brasileiro: criação de valor, rentabilidade, sinergias operacionais e grau e concentração. Rio de Janeiro: Encontro Anpad, 2011.

FREITAS, M. C. P. A internacionalização do sistema bancário brasileiro. Textos para Discussão, Ipea, n. 1.566, 2011.

MARINHO, S. E. B. P. Dois caminhos para a abertura econômica e financeira: os casos de Índia e Brasil. Dissertação (Mestrado em Economia). Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019.

MCKINNON, R. Money and Capital in economic development. Washington: The Brooking Institution, 1973.

NASSIF, A.; FEIJÓ, C.; ARAÚJO, E. The BRIC’s Economic Growth Performance before and after the International

Financial Crises. International Journal of Political Economy, vol. 45. n. 4, p. 294-314, 2016.

BANCO CENTRAL DO BRASIL. Relatório de Economia Bancária. 2017, publicação anual do Banco Central

do Brasil, disponível em: https://www.bcb.gov.br/content/publicacoes/relatorioeconomiabancaria/REB_2017.pdf. Acesso em: 23 Jul. 2019.

ROLAND, C. Banking Sector Liberalization in India. Heidelberg: Physica-Verlag, 2008.

_______. Banking Sector Liberalization in India. Paper preparado para a Ninth Capital Markets Conference

at the Indian Institute of Capital Market. European Business School, Oestrich-Winkel, Germany, 2012.

SALVIANO JÚNIOR, C. Bancos estaduais: dos problemas crônicos ao Proes. Brasília: Banco Central do

Brasil. 2003. Disponível em: https://www.bcb.gov.br/htms/public/BancosEstaduais/livro_bancos_estaduais.pdf. Acesso em: 23 Jul. 2019.

SHAW, E. Financial Deepening in Economic Development. New York: Oxford University Press, 1973.

Dados e resoluções (Acesso em Julho, 2019)

CRR e CLR: https://www.rbi.org.in/Scripts/BS_ViewMasCirculardetails.aspx?id=9905

CONCENTRAÇÃO BANCÁRIA DO BRASIL: https://www.bcb.gov.br/content/publicacoes/relatorioeconomiabancaria/REB_2017.pdf

FORMAÇÃO BRUTA DE CAPITAL FIXO: https://data.worldbank.org/indicator/NE.GDI.FTOT.

ZS?locations=BR-IN-1W

SETORES PRIORITÁRIOS DA ÍNDIA: https://m.rbi.org.in/Scripts/FAQView.aspx?Id=87

SPREAD BANCÁRIO: https://data.worldbank.org/indicator/FR.INR.LNDP?view=chart

PROER: https://www.bcb.gov.br/conteudo/cmn/AtasCmn/Ata_0607_CMN.pdf

PROES: https://www.bcb.gov.br/conteudo/cmn/AtasCmn/Ata_0605_CMN.pdf


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Sávio Emerick Barros Pavani Marinho

Curta a página de CADERNOS do DESENVOLVIMENTO


CADERNOS DO DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

Av. Rio Branco, 124, sl 1304, Ed. Edison Passos, Centro, Rio de Janeiro-RJ, 20040-001
Tel.: +55(21) 2178-9540
cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

Indexado por