A economia institucional e o desenvolvimento: comparações entre as perspectivas de Douglass North e Ha-Joon Chang

Igor de Menezes Larruscaim, Andrey Luis dos Santos Robinson, Adriano José Pereira

Resumo


RESUMO

A preocupação com a análise das instituições como fator fundamental nos processos econômicos recai principalmente sobre a influência que estas exercem no desenvolvimento. Esse estudo busca analisar a contribuição teórica acerca da relação entre instituições e desenvolvimento econômico a partir da visão de dois autores de grande relevância atualmente, Douglass North e Ha-Joon Chang. Os dois autores vinculam-se ao pensamento institucionalista, mas através de perspectivas diferentes. O estudo constatou diversos conceitos que são semelhantes nas obras produzidas por esses autores, assim como divergências relevantes, demonstrando que a economia institucional é um campo de estudo que não apresenta uniformidade acerca da função das instituições no desempenho das economias.

PALAVRAS-CHAVE: Economia Institucional; Desenvolvimento; Estado.

ABSTRACT

Concern over the analysis of institutions as an important factor within economic processes primarily focuses on the influence these have on development. This article analyses the theoretical contributions on the relationship between institutions and economic development of two leading authors of our time, Douglass North and Ha-Joon Chang. These two authors favour institutionalist thinking but see it from different perspectives. This study noted a variety of concepts that were similar in the works of these two authors, but also noted a number of divergencies, showing clearly that the institutional economy represents a field of study that is far from uniform in terms of the role of institutions in the performance of economies.

KEY-WORDS: Institutional Economics; Development; State. 


Texto completo:

PDF

Referências


BERNARDI, B. B. O conceito de dependência da trajetória (path dependence): definições e controvérsias teóricas. Perspectivas: Revista de Ciências Sociais, São Paulo, vol. 41, p. 137-167, 2012.

CAVALCANTE, C. M. Análise metodológica da economia institucional. Dissertação (Mestrado em Economia) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2007.

_______. A economia institucional e as três dimensões das instituições. Revista de Economia Contemporânea, Rio de janeiro, vol. 18, n. 3, p. 373-392, 2014.

CHANG, H-J. Chutando a escada: a estratégia do desenvolvimento em perspectiva histórica. São Paulo: Unesp, 2004.

_______. Economia: modo de usar. Um guia básico dos principais conceitos econômicos. Tradução Isa Mara Lando e Rogério Galindo. São Paulo: Portfolio-Penguin, 2014.

_______. Um estudo sobre a relação entre instituições e desenvolvimento econômico: algumas questões teóricas fundamentais. OIKOS, Rio de Janeiro, vol. 7, n. 2, 2008.

COASE, R. H. The Coase theorem and the empty core: a comment. The Journal of Law and Economics, Chicago, vol. 24, n. 1, p. 183-187, 1981.

_______. The nature of the firm. In: ESTRIN, S.; MARIN, A. (eds) Essential readings in economics. London: Palgrave, 1995. p. 37-54.

COMMONS J, R. Economia institucional. In: SALLES, A, O, T; PESSALI, H. F.; FERNÁNDEZ, R. G. Economia institucional: fundamentos teóricos e históricos. São Paulo: Editora Unesp, 2017.

COUTINHO, D. R. Direito e institucionalismo econômico: apontamentos sobre uma fértil agenda de pesquisa. Brazilian Journal of Political Economy/Revista de Economia Política, São Paulo, vol. 37, n. 3, 2017.

CONCEIÇÃO, O. A. C. O conceito de instituição nas modernas abordagens institucionalistas. Revista de Economia Contemporânea, Rio de Janeiro, vol. 6, n. 2, p. 119-146, jul./dez. 2002.

DEQUECH, D. The demarcation between the “old” and the “new” institutional economics: recent complications. Journal of Economic Issues, vol. 36, n. 2, p. 565-72, 2002.

FIANI, R. Crescimento econômico e liberdades: a economia política de Douglass North. Economia e Sociedade, Campinas, vol. 11, n. 1, p. 45-62, 2002.

_______. Cooperação e conflito: instituições e desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

HODGSON, G. M. What are institutions. Journal of Economic, vol. 40, n. 1, p. 1-25, 2006.

_______. Institutions and individuals: interaction and evolution. Organization Studies, vol. 28, n. 1, p. 95-116, 2007.

NORTH, D. C. Institutions, institutional change and economic performance. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

_______. Understanding the process of economic change. London: Institute of Economic Affairs, 1999.

_______. Custos de transação, instituições e desempenho econômico. 3. ed. Rio de Janeiro: Instituto Liberal, 2006.

_______. Desempenho econômico através do tempo. Revista de Direito Administrativo – RDA. Rio de Janeiro, vol. 255, p. 13-30, set./dez., 2010.

_______; WALLIS, J. J; WEINGAST, B. R. Violence and social orders: A conceptual framework for interpreting recorded human history. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

TOYOSHIMA, S. Instituições e desenvolvimento econômico: uma análise crítica das ideias de Douglass North. IPE-USP – Estudos Econômicos, São Paulo, vol. 29, n. 1, 1999.

SIMON, H. From substantive to procedural rationality. In: HAHN, F.; HOLLIS, M. (Eds.). Philosophy and economic theory. Oxford: Oxford University Press, 1979. p. 65-68.

VEBLEN, T. B. A teoria da classe ociosa: um estudo econômico das instituições. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1965.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Igor de Menezes Larruscaim, Andrey Luis dos Santos Robinson, Adriano José Pereira

Curta a página de CADERNOS do DESENVOLVIMENTO


CADERNOS DO DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

Av. Rio Branco, 124, sl 1304, Ed. Edison Passos, Centro, Rio de Janeiro-RJ, 20040-001
Tel.: +55(21) 2178-9540
cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

Indexado por