O primeiro governo Dilma e a retração do lulismo

Vinícius Lobo, Viviani Greer

Resumo


Em Subdesenvolvimento e Sociedade de Classes, Florestan Fernandes defende que o "ponto central para a caracterização sociológica das classes sociais em sociedades subdesenvolvidas está, naturalmente, no modo pelo qual os processos de estratificação social se vinculam à ordem econômica, criada pela existência de uma economia de mercado capitalista” (FERNANDES, 2008, p. 33). Neste artigo, tentamos expor como, nos últimos 12 anos, a dinâmica da estratificação social brasileira vinculou-se à ordem econômica e por que, a partir de 2011, iniciou-se um processo de deterioração dessa ordem que culminou em uma inversão de tendência de tal dinâmica da estratificação, como se observou a partir do ano de 2015. 


Texto completo:

PDF

Referências


AMITRANO, C. Um mapa setorial do emprego e dos salários a partir de dados da RAIS. In: Textos para Discussão. IPEA, n. 2033, jan. 2015, p. 1-87.

BACHA, E.; BONELLI, R. Crescimento e produtividade no Brasil: o que nos diz o registro de longo prazo. Seminários Dimac, n. 42. Rio de Janeiro: IPEA, 2001.

BALTAR, P. Crescimento da Economia e Mercado de Trabalho no Brasil. In: CALIXTRE, A. B.; BIANCARELLI, A. M.; CINTRA, M. A. (Org.). Presente e Futuro do desenvolvimento brasileiro. Brasília: IPEA, 2014.

BARBOSA. A. F. Os avanços da Era Lula. Interesse Nacional, ano 5, n. 20, jan./dez.2013, p. 40-50.

BASTOS, C. P.; D’AVILA, J. G. O debate do desenvolvimento na tradição heterodoxa brasileira. In: Revista de Economia Contemporânea, vol. 13, n. 2, maio.ago/ 2009, p. 173-199.

BELLUZZO, L. G.; ALMEIDA, J. G. Depois da Queda: A economia brasileira da crise da dívida aos impasses do Real. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

BIELSCHOWSKY, R. Pensamento Econômico Brasileiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 1995.

_______. SQUEFF, G.; VASCONCELOS, L. Evolução dos investimentos nas três frentes de expansão da economia brasileira na década de 2000. In: Texto para Discussão n. 2063, mar. 2015.

BOIANOVSKY, M. A view from the tropics: Celso Furtado and the Theory of Economic Development in the 1950s. History of Political Economy, vol. 42, n. 1, abr. 2010, p. 221-266.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Da Macroeconomia Clássica à Keynesiana. 1976. Disponível em: . Acesso em: 20/06/2015.

_______. Do antigo ao novo desenvolvimentismo na América Latina. In: PRADO, L. C. D. Desenvolvimento econômico e crise: ensaios em comemoração aos 80 anos de Maria da Conceição Tavares. Rio de Janeiro: Contraponto, 2015.

COSTA, F. N. Keynes, Kaldor e o monetarismo. Texto para discussão. IE/Unicamp, n. 154, fev.2009, p. 1-29.

FURTADO, C. Teoria e Política do Desenvolvimento. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

_______. Economia do Desenvolvimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008.

_______. Formação de Capital e Desenvolvimento Econômico. In: AGARWALA, A. N.; SINGH, S. P. A economia do subdesenvolvimento. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010, p. 329-354

_______. Elementos de uma teoria do subdesenvolvimento. In: FREIRE D’AGUIAR, R. Essencial Celso Furtado. São Paulo: Penguim, 2013, p. 113-141.

_______.; SOUSA, A. Los Perfiles de la Demanda y de La Inversión. Trimestre Econômico, vol. 37, n. 147, jul.set. /1970, p. 463-487.

HERSCOVICI, A. Keynes e o conceito de capital: reflexões epistemológicas a respeito das premissas sraffianas da Teoria Geral. Revista de Economia Política, São Paulo, vol. 33, n. 3 (132), jul.set./2013, p. 486-504.

IPEA. Comunicado IPEA nº 155: A Década Inclusiva (2001-2011): Desigualdade, Pobreza e Políticas de Renda. Brasília, IPEA, set. 2012.

JORGE, C. T.; MARTINS, N. M. Política Fiscal e Desaceleração da Economia Brasileira no Governo Dilma (2010-2012). In: ASSOCIAÇÃO KEYNESIANA BRASILEIRA. Dossiê da Crise IV: A Economia Brasileira na Encruzilhada. 2013. Disponível em: . Acesso em: 15/07/2015.

KEYNES, J. M. A Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda. São Paulo: Abril Cultural, 1988.

LEWIS, W. A. Desenvolvimento econômico com oferta ilimitada de mão de obra. In: AGARWALA, A. N.; SINGH, S. P. A economia do subdesenvolvimento. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010, p. 413-462.

LOBO, V. Dois Dogmas do Lulismo. Política e Sociedade, vol. 12, n. 26, jan.abril./2014, p. 133-161.

MACEDO, M. M. O que vem acontecendo com a produtividade da economia brasileira? In: OLIVEIRA, M.P. et al. (Org.). Rede de Pesquisa Formação e Mercado de Trabalho - Coletânea de Artigos: produtividade e desenvolvimento. Brasília: ABDI; IPEA, v. VI, 2014, p. 75-119.

MEDEIROS, C. A. Inserção Externa, Crescimento e Padrões de Consumo na Economia Brasileira. Brasília: IPEA, 2015.

MIGLIOLI, J. Acumulação de Capital e Demanda Efetiva. 2ª Ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

MODENESI, A.; PAULA, A.; PIRES, M. A Tela de Contágio das Duas Crises e as Respostas da Política Econômica. In: ASSOCIAÇÃO KEYNESIANA BRASILEIRA. Dossiê da Crise IV: A Economia Brasileira na Encruzilhada. 2013. Disponível em: . Acesso em: 15/07/2015.

MONTES, G. C.; REIS, A. F. Investimento público em infraestrutura no período pós-privatizações. Economia e Sociedade, Campinas, vol. 20, n. 1(41), abr. 2011, p. 167-194.

NAVARRETE, A; NAVARRETE, I. O Subemprego nos países subdesenvolvidos. In: AGARWALA, A. N.; SINGH, S. P. A economia do subdesenvolvimento. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010, p. 357-362.

NERI, M. Assuntos Estratégicos: Social e Renda – A classe média brasileira. Brasília: SAE, 2014.

OLIVEIRA, F. Crítica à Razão Dualista/O ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003. OREIRO, J. L.; FEIJÓ, C. A. Desindustrialização: conceituação, causas, efeitos e o caso brasileiro. Revista de Economia Política, vol. 30, nº 2 (118), abr.jun./2010, p. 219-232.

RAMOS, C. A. Economia do Trabalho: Modelos Teóricos e Debate no Brasil. Curitiba: CRV, 2012.

RAO, V. K. R. V. Investimento, renda e o multiplicador numa economia subdesenvolvida. In: AGARWALAA. N.; SINGH, S. P. A economia do subdesenvolvimento. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010, p. 229-240

ROSENSTEIN-RODAN, P. N. Problemas de industrialização da Europa do Leste e Sudeste. In: A economia do subdesenvolvimento. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010, p. 265-275.

SERRANO, F.; SUMMA, R. Aggregate Demand and the Slowdown of Brazilian Economic Growth from 2011-2014. 2015. Disponível em: . Acesso em: 15/10/2015.

SINGER, A. Cutucando onças com varas curtas: o ensaio desenvolvimentista no primeiro mandato de Dilma Roussef (2011-2014). Novos Estudos, São Paulo, Ceprab, n. 102, jul. 2015, p. 42-71.

SINGER, P. Economia Política do Trabalho. 2ª Ed. São Paulo: Hucitec, 1979.

VIANNA, S. T. W.; LEITE, M. V. C. A questão da lei de Say e o retorno à teoria do subdesenvolvimento de Celso Furtado. In: ARAUJO, T. P.; VIANNA, S. T. W; MACAMBIRA, J. 50 anos de Formação Econômica do Brasil: Ensaios sobre a obra clássica de Celso Furtado. Rio de Janeiro: IPEA, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Vinícius | Viviani Lobo | Greer

Curta a página de CADERNOS do DESENVOLVIMENTO


CADERNOS DO DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

Av. Rio Branco, 124, sl 1304, Ed. Edison Passos, Centro, Rio de Janeiro-RJ, 20040-001
Tel.: +55(21) 2178-9540
cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

Indexado por

   

 

Associados Patronos do Centro Celso Furtado