Os irrigantes do projeto Jaíba: da produção de subsistência à agricultura moderna

Gilmar Ribeiro dos Santos, Ricardo dos Santos Silva

Resumo


O norte de Minas Gerais está no limite da Região Sudeste com o Nordeste do Brasil. Do ponto de vista econômico e social se aproxima mais do Nordeste que do Sudeste. Essa região foi incorporada ao mercado capitalista com a intervenção do Estado como agente indutor do desenvolvimento econômico regional a partir da criação da Sudene no final dos anos 1950. O Projeto Jaíba foi idealizado na perspectiva de se construir um grande projeto de irrigação que auxiliasse no desenvolvimento regional pautado pela redução das desigualdades sociais e regionais do Brasil. Na sua implantação, o regime militar tentou criar ali um modelo baseado em grandes empresas agrícolas. Posteriormente, os primeiros governos civis tentaram implantar um modelo de desenvolvimento rural baseado nos agricultores tipo farmer estadunidense. Por fim, existe desde o final dos anos 1990 uma tentativa frustrada de se transferir totalmente a gestão do projeto para os irrigantes. Com a recriação da Sudene coloca-se a indagação sobre qual modelo de desenvolvimento será implantado a partir de então no Projeto Jaíba. Será possível resgatar o modelo de desenvolvimento regional calcado na perspectiva da redução das desigualdades sociais e regionais almejado por Celso Furtado?


Texto completo:

PDF

Referências


Livros

ABRAMOVAY, R. Paradigmas do capitalismo agrário em questão. Campinas: UNICAMP/ANPOCS, 1992.

ENGUITA, M. A face oculta da escola: educação e trabalho no capitalismo. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

GUIMARÃES, A.P. Quatro séculos de latifúndio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

IANNI, O. Colonização e contra-reforma agrária na Amazônia. Petrópolis: Vozes, 1979.

______. Imperialismo na América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1974.

MARTINS, J.S. O poder do atraso: ensaios de sociologia da história lenta. São Paulo: Hucitec, 1999.

MOREIRA, R.J. Agricultura familiar: processos sociais e competitividade. Rio de Janeiro: Mauad/ UFRRJ, 1999.

OLIVEIRA, A. A agricultura camponesa no Brasil. São Paulo: Contexto, 1997.

SZMRECSÁNYI, T. Pequena história da agricultura no Brasil. São Paulo: Contexto, 1998.

Periódicos

ABRAMOVAY, R. O capital social do territórios: repensando o desenvolvimento rural. In: Economia Aplicada. Vol. 4, nº. 2, abril/maio, 2000.

BERNARDO, J. A produção de si mesmo. In: Educação em Revista. Belo Horizonte: UFMG. N 9, 1989.

PORTO, M.S.G. Temas e tendências da sociologia rural: a experiência recente da Universidade de Brasília. In: Sociedade e Estado. s/n. Brasília: UnB, 1990.

SANTOS, J.V.T. O processo de colonização agrícola no Brasil contemporâneo. In: Sociedade e Estado. Vol. IV, nº. 2. Brasília: UnB, jul/dez 1989.

Dissertação, tese e monografia

ANDRADE, E. O processo de trabalho na agricultura intensificada: estudo sobre perímetro público irrigado no Vale do São Francisco. Dissertação de Mestrado em ciência política. Campinas: UNICAMP, 1992.

CARNEIRO, G.V.F.B. Pedagogia do trabalho: produção da necessidade-desejo do trabalho assalariado. Dissertação de Mestrado em educação. Belo Horizonte: UFMG, 1992.

GOMES, N.M. Estado, capital e colonização na fronteira agrícola mineira. Dissertação de Mestrado. Belo Horizonte: UFMG, 1983.

RODRIGUES, L. Investimento agrícola e o grande Projeto Jaíba: uma interpretação – 1970-1996. Tese de Doutorado em história econômica. São Paulo: USP, 1998.

Eventos

SILVA, G.L.; AFONSO, P.C.S. (2009). A implantação de um novo tipo de cultura em substituição à fruticultura irrigada no Projeto de Irrigação de Pirapora – MG. XIX Encontro Nacional de Geografia Agrária. São Paulo, 2009, p. 1-21.

Documentos eletrônicos

SAUER, S. A proposta de “Reforma agrária de mercado” do Banco Mundial no Brasil. Brasília, 2001. Disponível em: .


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




            

A edição n. 28 de Cadernos do Desenvolvimento teve apoio da Fundação Oswaldo Cruz, por meio do Projeto "Desafios para o Sistema Único de Saúde no contexto nacional e global de transformações sociais, econômicas e tecnológicas - CEIS 4.0" (Fiocruz/Fiotec)

 

CADERNOS do DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

secretaria@centrocelsofurtado.org.br