Desenvolvimento sem liberdade: uma análise crítica do pensamento de Amartya Sen

Mário Máximo

Resumo


O presente trabalho discute a abordagem das capacitações como proposta para se entender o processo de desenvolvimento. O pensamento de Amartya Sen é analisado criticamente a partir de suas próprias proposições. A investigação se justifica pela influência abrangente que a teoria em questão tem exercido na literatura contemporânea sobre o desenvolvimento. A conclusão do trabalho é que a teoria das capacitações apresenta uma série de dificuldades importantes associadas, principalmente, ao seu conceito de liberdade política e econômica.


Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Trad. Leonel Vallandro e Gerd Bornheim da versão inglesa de W.D. Ross. São Paulo, Nova Cultural, 1991.

CHAUÍ, M. Convite à Filosofia. São Paulo, Ática, 2000.

KANT, I. (1785). Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Trad. Leopoldo Holzbach. São Paulo, Martin Claret, 2005.

MARX, K. (1844). Manuscritos Econômicos – Filosóficos. Trad. Alex Marins. São Paulo, Martin Claret, 2006.

MARX, K. (1867). O Capital: Crítica da Economia Política. Trad. Reginaldo Sant'Anna. 23a ed. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2006.

NUSSBAUM, M.; SEN, A. The Quality of Life. Oxford: Clarendon Press, 1993.

SEN, A. (1999) Desenvolvimento como Liberdade. Trad. Laura Texeira Motta. São Paulo, Companhia das Letras, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




            

A edição n. 28 de Cadernos do Desenvolvimento teve apoio da Fundação Oswaldo Cruz, por meio do Projeto "Desafios para o Sistema Único de Saúde no contexto nacional e global de transformações sociais, econômicas e tecnológicas - CEIS 4.0" (Fiocruz/Fiotec)

 

CADERNOS do DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

secretaria@centrocelsofurtado.org.br