(Des)Industrialização e (Sub)Desenvolvimento

Wilson Cano

Resumo


Para se fazer uma reflexão mais rigorosa sobre a questão da desindustrialização é necessário preliminarmente advertir sobre três questões fundamentais: i) o sig­nificado e a composição do setor indústria, tal qual figura nos sistemas de contas nacionais; ii) lembrar os conceitos de processo de desenvolvimento e de subdesen­volvimento econômico; e iii) o sentido da industrialização em tais processos. [CONTINUA]

Texto completo:

PDF

Referências


BANCO CENTRAL DO BRASIL. Capitais brasileiros no exterior. Disponível em: www.bcb.gov.br/rex/cbe/port>. Acesso em: 24/07/2012.

CEPAL. El proceso de industrialización en América Latina. Nova York: ONU-Cepal, 1965.

______. Anuário Estadístico. Santiago: Cepal, vários anos.

CANO, W. Reflexões sobre o Brasil e a nova (des) ordem internacional. 4ª Ed (ampliada). Campinas: Ed. Unicamp, 1995.

______. Soberania e política econômica na América Latina. São Paulo: Unesp,1999.

______. América Latina: a integração necessária. In: Revista Economia e Sociedade, n. 21, jul.-dez. 2003. Campinas: Unicamp/Instituto de Economia.

______. Desconcentração produtiva regional do Brasil: 1970-2005. São Paulo: Unesp, 2008.

______. Uma agenda nacional para o desenvolvimento. In: Revista Tempo no Mundo, vol.2, n. 2, 12/2010. Brasília: Ipea.

______. e GONÇALVES, A. L. Política industrial do governo Lula. In: Os anos Lula: Contribuições para um balanço crítico 2003-2010. Rio de Janeiro: Garamond Editora, 2010.

CASTANHEDA, J.G. Nafta´s mixed record: The view from México. In: Foreign Affairs, January-february, 2014, p.134-141.

DE MORAIS, I. N. Cadeias produtivas globais de valor: a posição da China na indústria eletroeletrônica de consumo. In: Revista Tempo do Mundo, vol. 4, n. 3, 12/2012. Brasília: Ipea.

FAJNZYLBER, F. La industrialización trunca de América Latina. México: Nueva Imagen, 1983.

FUNCEX – Fundação de Comércio Exterior. Banco de dados. Disponível em:< www.funcex.com.br/>. Acesso em: 22/01/2012.

FURTADO, C. Formação Econômica da América Latina. Rio de Janeiro: Lia Edit., 1969.

______. Teoria e política do desenvolvimento econômico. 10ª Ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

GUILLÉN, A. Para superar el estancamiento económico em México: “Nudos Críticos” de um proyecto nacional de desarrollo. México: Universidad Autónoma Metropolitana Iztapalapa, 2008.

GUIMARÃES, S. P. A União Europeia e o fim do Mercosul. In: Carta Maior, 26/04/2014.

IBGE. Sistema de Contas Nacionais. Disponível em: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/cnt/default.>. Acesso em: 24/07/2012.

IEDI, Cartas Mensais, vários números. Disponível em:.

IPEADATA, Taxa de câmbio real efetiva de exportações de manufaturados. Disponível em: http://www.ipeadata.gov.br/. Acesso em: 22/03/2012.

LEVY ECONOMICS INSTITUTE OF BARD COLLEGE. Publications; /strategic Analysis. (várias). Dados obtidos em < http://www.levyinstitute.org/ publications/>. Acesso em: 15/08/2012.

OECD. Economic Outlook: Statistics and Projections. Dados obtidos em: . Acesso em: 15/08/2012.

ONU, Sistema de Contas Nacionais. Disponível em: . Acesso em: 27/12/2011.

OREIRO, J. Controles de capitais, sobrevalorização cambial e termos de troca: uma análise do caso brasileiro recente. In: Conjuntura, vol. 48, jun 2012. Conselho Regional de Economia do Distrito Federal.

PINTO, A. Heterogeneidade estrutural e modelo de desenvolvimento recente. In: SERRA, J. (Coord.) América Latina: ensaios de interpretação econô¬mica. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

RÍCUPERO, R. Desindustrialização precoce: futuro ou presente do Brasil? In: Le Monde Diplomatique, n. 80, 03/2014.

SQUEFF, G. C.; NOGUEIRA, M. O. Produtividade do trabalho e qualidade das ocupações: um breve olhar sobre a última década. In: Radar, n. 21, 8/2012. Brasília: Ipea.

STIGLITZ, J. E. Olhar Externo. Entrevista crítica ao projeto Alca. In: HTTP://WWW.FOLHA.UOL. COM.BR/FSP/DINHEIRO/FI3006200312.HTM, 30/06/2003.

______. Os Estados Unidos do lado errado da globalização. In: O Estado de S. Paulo, 23/03/2014, p. A21. São Paulo.

TEIXEIRA, A. O movimento da industrialização nas economias capitalistas centrais no pós-guerra. RJ, IEI/UFRJ, Texto para discussão n. 25, 1983.

UNCTAD. La acumulación de capital, el desarrollo económico y el cambio estructural. UNCTAD-ONU, N.Y., 2003. Disponível em: ). Acesso em: 27/12/2011.

VALDERRAMA, H. S. Planificación del desarrollo industrial. México: Siglo XXI, 1966.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




            

A edição n. 28 de Cadernos do Desenvolvimento teve apoio da Fundação Oswaldo Cruz, por meio do Projeto "Desafios para o Sistema Único de Saúde no contexto nacional e global de transformações sociais, econômicas e tecnológicas - CEIS 4.0" (Fiocruz/Fiotec)

 

CADERNOS do DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

secretaria@centrocelsofurtado.org.br