Investimento estrangeiro direto no Nordeste brasileiro: vetor de desenvolvimento?

Márcia Cristina Silva Paixão, Jorge Madeira Nogueira

Resumo


O artigo identifica a presença, efetiva ou esperada, do IED na região Nordeste e avalia a contribuição potencial para o desenvolvimento local. São utilizados dados do Bacen, fDi Intelligence e IBGE do período 1995-2012. Dados do período 2000-2005 permitiram constatar uma produtividade média no Nordeste inferior à de outras regiões e uma taxa de crescimento do emprego de 93%. Este último ponto seria uma evidência de boom do IED na região na primeira metade dos anos 2000, enquanto a diferença de produtividade pode refletir um menor estoque relativo de IED em atividades intensivas em escala, com tecnologia diferenciada ou intensivas em ciência. Dados de investimentos anunciados revelaram que atividades extrativas geram somente entre um e dois postos de trabalho por milhão de dólares investido. Além disso, há evidências de que empresas de países em desenvolvimento são relativamente menos inovativas e que a origem europeia não implica performance inovativa superior. Conclui-se que políticas regionais de atratividade de investimentos precisam ser seletivas e estratégicas também em relação ao investimento estrangeiro.


Texto completo:

PDF

Referências


ÂNGELO-SILVA, A. M.; ALMEIDA, M. Desafios de uma nova política regional para o Nordeste. Boletim regional, urbano e ambiental, Brasília, v. 5, n. 1, p. 51-58, jun. 2011.

ARRUDA, D. R. Quinze anos sem política regional: uma análise dos planos do governo federal para o Nordeste de 1994 a 2009. 247 f. 2010. Dissertação (Mestrado em Economia). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2010.

BACEN. Banco Central do Brasil. Censo de capitais estrangeiros no país, anos-base 1995/2000/2005/2010. 2013. Disponível em: . Acesso em: abr. 2011; out. 2013.

CEPAL. Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe. La inversión extranjera directa en America Latina y el Caribe – 2011. Chile: Nações Unidas, 2012. Disponível em: . Acesso em: maio 2013.

COLE, M. A., ELLIOTT, R. J. R.; ZHANG, J. Growth, foreign direct investment and the environment: evidence from Chinese cities. Discussion Papers. Department of Economics, University of Birmingham, 2009.

COPELAND, Brian R. M.; TAYLOR, M. Scott. Trade, Growth, and the Environment. Journal of Economic Literature, v. 42, n. 1, p. 7-71, 2004.

DUNNING, J.; LUNDAN, S. Multinational enterprises and the global economy. 2. ed. Cheltenham, Reino Unido: Edward Elgar, 2008.

FDI INTELLIGENCE. Financial Times Ltd. FDI into Nordeste Brazil - Data January 2003 to March 2012. Londres: FDI Intelligence Limited, 2012.

FEIJÓ, C. A.; CARVALHO, P. G. M.; RODRIGUEZ, M. S. Concentração industrial e produtividade do trabalho na indústria de transformação nos anos 90: evidências empíricas. Economia, Niterói, v. 4, n. 1, p. 19-52, jan.-jun. 2003.

FERRAZ, C.; SEROA DA MOTTA, R. Regulação, mercado ou pressão social? Os determinantes do investimento ambiental na indústria. Texto para discussão n. 863. Rio de Janeiro, IPEA, 2002.

GIRMA, S. Absorptive capacity and productivity spillovers from FDI: a threshold regression analysis, Oxford Bulletin of Economics and Statistics, v. 67, n. 3, p. 281-306, 2005.

GONÇALVES, J. E. P. Transbordamentos de produtividade na indústria brasileira: evidências empíricas 1997-2000. ANPEC – XXXIII Encontro Nacional de Economia, 2004, João Pessoa. Anais eletrônicos... Rio de Janeiro, ANPEC, 2004. Disponível em: . Acesso em: jul. 2011.

GROSSMAN, G. M.; KRUEGER, A. B. Economic Growth and the environment. NBER Working Papers n. 4634. Cambridge, MA, National Bureau of Economic Research, 1994.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria. Pesquisa Industrial de Inovação Tecnológica (PINTEC). Base de dados, 2008. Disponível em: . Acesso em: out. 2012, set. 2013.

_______. Empresas estrangeiras industriais, 2013. Dados disponibilizados via e-mail sob demanda específica da autora, contra apresentação de projeto de pesquisa à Gerência de Atendimento e Recuperação de Informações (GEATE) do Centro de Documentação e Disseminação de Informações (CDDI).

NASSIF, A. Há evidências de desindustrialização no Brasil? Texto para discussão, n. 108. Rio de Janeiro, BNDES, 2006.

PAIXÃO, M. C. S. Investimento estrangeiro direto no cenário ambiental e socioeconômico do nordeste brasileiro. 2014. 218 f. Tese (Doutorado em Economia). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

PRDNE. Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). Ministério da Integração Nacional (MI). Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE). Elementos para discussão. Recife: Sudene, 2011. Disponível em: . Acesso em: 17 fev. 2013.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do desenvolvimento econômico. Trad. de Maria Sílvia Possas. São Paulo: Nova Cultural, 1997 (Coleção Os Economistas). Versão inglesa de Redvers Opie do original alemão publicado em 1926.

SERRANO, A. L. M. Ensaios sobre evidências empíricas da relação entre renda, desigualdade e meio ambiente. 139 f. Tese (Doutorado em Economia). Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

STIGLITZ, J. Capital market liberalization, economic growth, and instability. World Development, Washington, DC, World Bank, v. 28, n. 6, p. 1075-1086, 2000.

UNCTC/UNCTAD. Centre on Transnational Corporations/ United Nations Conference on Trade and Development. World Investment Report 1992: Transnational Corporations as Engines of Growth. Nova York; Genebra: Nações Unidas, 1992.

UNCTAD. United Nations Conference on Trade and Development. World Investment Report 1994: Transnational Corporations, Employment and the Workplace. Nova York; Genebra: Nações Unidas, 1994. Disponível em: . Acesso em: mar. 2012.

_______. World Investment Report 1999: FDI and the Challenge of Development. Nova York; Genebra: Nações Unidas, 1999.

_______. World Investment Report 2000: Cross-border M & A and Development. Nova York; Genebra: Nações Unidas, 2000.

_______. World Investment Report 2006: FDI from Developing and Transition Economies: Implications for Development. Nova York; Genebra: Nações Unidas, 2006.

_______. World Investment Report 2012: Towards a New Generation of Investment Policies. Nova York; Genebra: Nações Unidas, 2012.

_______. World Investment Report 2013: Global Value Chains - Investment and Trade for Development. Nova York; Genebra: Nações Unidas, 2013.

ZARSKY, L.; GALLAGHER, K. FDI spillovers and sustainable industrial development: evidence from U.S. Firms in Mexico’s Silicon Valley. The Working Group on Development and Environment in the Americas. Discussion Paper n. 18, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Márcia Cristina Silva Paixão, Jorge Madeira Nogueira

Curta a página de CADERNOS do DESENVOLVIMENTO


CADERNOS DO DESENVOLVIMENTO é uma publicação do
Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento

Av. Rio Branco, 124, sl 1304, Ed. Edison Passos, Centro, Rio de Janeiro-RJ, 20040-001
Tel.: +55(21) 2178-9540
cadernos@centrocelsofurtado.org.br 

Indexado por